quarta-feira, 1 de junho de 2011

« there is no way to Peace. Peace is the way. »

A probabilidade/improbabilidade dos acontecimentos, é algo que frequentemente me cruza a mente. Tenho muita tendência a juntar vários factores que me permitam ter esperança. Esperança essa efémera, porque sou mais rapidamente pessimista do que optimista, e esse optimismo acaba-se sempre muito rápido. Quero tudo, tão depressa quanto não quero nada. De facto, há muitas coisas que me cruzam a mente. A paz interior é uma delas. Para mim, significa uma completa liberdade espiritual e que parte de cada um de nós, podendo também ser assim considerada como uma liberdade individual. Estar em paz, começa por estar em paz connosco mesmos, possuidores de um sentimento de leveza tanto quanto à nossa consciência, como face às nossas acções, e às consequências que são fruto de qualquer tipo de atitude que tomemos. Eu cometo mais erros do que faço coisas acertadamente, e é isso que me permite encontrar um caminho que me faça reflectir. Sou apologista de que sem paz, nada se consegue, nada é perfeitamente possível ou sequer viável por qualquer acto em fase de decisão. Sou apologista de que a paz é o meio, tão depressa quanto é o fim. E ultimamente não tenho andado em paz comigo mesma. Mas preciso disso, mais agora, do que nunca.

4 comentários:

S' disse...

Eu também preciso de paz. Paz à minha volta e comigo mesma. Quando a encontrares, diz-lhe que eu também a quero :/

Cheerio disse...

Subscrevo tudo o que disseste. Também eu ando à procura da minha paz...

M(S) disse...

:/ não gosto de saber que há pessoas à minha volta que não têm paz interior... :S
desejo que tudo se componha para ti e para toda a gente que assim se sinta.
Beijo
M(S)
( http://o-meu-mundodalua.blogspot.com )

Soraia B. disse...

Quando estamos em paz connosco tudo a volta se torna mais simples e mais bonito (: